quarta-feira, 25 de junho de 2008

Entendimento

Nos trilhos da sabedoria,
não fui eu quem disse,
que há de ter entendimento
das metáforas e dos enigmas
dessa vida que grita e anuncia
que o amor sempre haverá de ser
energia infinita.

Jenny Faulstich
(19/06/2008)

Caminhando na noite III (Saudade nostálgica)

Caminhando na noite
feito uma alma penada
procurando o caminho de casa.

Percurso de provações, tentações,
emoções e até uma certa saudade.
Nostálgica, presente.
Saudade de quê eu não sei.
Saudade de algo que fiz.
Saudade de algo que vem.

Saudade do sono.
Maldito sono!
Nostálgico, ausente,
a tornar-me essa alma penada,
sem casa, sem causa, sem nada,
caminhando para frente,
esperando ser gente,
pesando valores,
abrindo a mente.

Jenifer Faulstich
(24/06/2008)

Caminhando na noite II (Elevando o coração)

Mais uma vez o mesmo caminho,
o caminho de casa.
E de um instante de espontaneidade,
busco em mim, algo para eternidade,
uma palavra, um ato,
uma lembrança que não seja só minha.

Sob a luz da Lua,
um caminho então iluminado,
sempre a frente, abrindo a mente
e elevando o coração para longe da solidão.

Jenny Faulstich
(19/06/2008)

sábado, 21 de junho de 2008

Contradição

Não suporto mais chorar.
Contradigo o que sinto,
por amar sem ter a quem amar.

Jenny Faulstich
(21/06/2008)

Retorno

O sono retorna ao templo.
Necessidade de repousar as idéias.

Jenny Faulstich
(21/06/2008)

Sem medo

Perspectiva? A ausência dela?
Tem fundamento essa tristeza?
Tem fundamento esse martírio,
esse questionamento?

Caminhar com medo,
é caminhar para trás
querendo caminhar para frente.

Prefiro caminhar para frente.
Sem medo,
nos encontraremos adiante meu bem.

Jenny Faulstich
(21/06/2008)

Inevitável

Cada palavra cantada
confirma cada palavra mencionada.

Resposta imediata,
ao questionado, ao discordado,
ao discutido, ao imaginado.

Acredite um pouquinho só no que lhe digo,
"a dor é inevitável, mas o sofrimento, é opcional".
Então, pra quê temer?

Jenny Faulstich
(21/06/2008)

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Há dias...

Há dias em que nada tenho de especial...
Extrema melancolia e até conflito existencial...
Delírio que consome qualquer vestígio racional...
Emoções assim, será normal?

Jenny Faulstich

Indefinida Ilusão

Expectativas não cumpridas aumentam a decepção.
Como um açoite impiedoso recebo cada rejeição.
Por fim, relação apenas mantenho com a solidão.

Jenny Faulstich

Incerteza

As lágrimas sempre alcançam meus olhos
e me desafiam num combate violento
de murmúrios ao vento
afiados como uma espada
que atravessa meu peito,
sangra tristeza
e busca consolo numa incerteza.

Jenny Faulstich
(10/12/2005)

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Sentimento Unitário

Até mesmo o mais íntimo amargo
se rende ao citado no Decálogo.
Até mesmo o mais intenso aluado
se vê no presságio de amar e ser amado.

Jenny Faulstich
(15/12/2004)

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Caminhando na noite I (Dark Angel)

Deixo para trás aquela silueta
de ombros nus exibindo a carência.
Bela silueta, sem rosto, sem nada,
sem nada a ser visto com os olhos.

Deixo para trás
minha sombra
dark angel sem asas,
sem escolha.
Atraente sombra
omitindo desejo infinito,
ânsia de luz,
sede de amor.

Deixo para trás
minha silueta
para permitir
que a luz possa me guiar
sempre a frente
abrindo a mente...

Jenny Faulstich
(11/06/2008)

Um dia será livre...

Um dia meu amado,
você será alado...

Um dia meu querido,
você estará crescido...
Estará livre...
Livre para ver, ouvir e falar...
Livre para querer e para escolher,
para caminhar com suas próprias pernas,
para refletir, perdoar e compreender,
buscar verdades, respostas, conseqüências...
E estando por perto ou não,
sempre... sempre estarei com você.

Jenny Faulstich
*para uma pessoa especial
(11/06/2008)

Nunca diga...

Nunca diga que não sei!
Como se passa, como se sente.
Nunca diga o que fazer!
Mas por favor...
me diga o que fazer!!!

Já disse que te amo hoje?
E nunca esqueça:
nunca diga que não sei,
nunca duvide de mim
e não ache que se livraria fácil de mim
porque você já está comigo
da melhor forma que alguém poderia estar,
no carinho, na harmonia e no amor...
Somente nunca diga, que não sei...

Jenny Faulstich
(06/06/2008)