quinta-feira, 28 de abril de 2016

Quando a onda passa

Poesia, minha única companhia,

brota, nasce, manifesta solitária e fria.
Despe-se de um beijo afoito,
um momento de embriguez...
E quando a onda passa,
a dor retorna outra vez.

Jenny Faulstich
(06/02/2016)

Nenhum comentário:

Postar um comentário